Turno da noite

As horas que nos prendem
têm passada de insónia
são as banais palavras
que nos agarram,
triviais mentiras
que nos confortam,
certezas que nos dão
agonias a desoras
ou talvez a imprecisão
e o torpor do nada.
As vertigens que nos prendem
são prisões de palavras
o que deixamos incompleto
aprisionado nas horas.

 

tags:
publicado por Luís Naves às 15:21 | link do post