Ofício

Juntar palavras é quebrar nozes com as mãos, dedos abertos.

 

Vê o castor que equilibra os ramos sobre o dique. Observa

 

a sua disciplina.

 

 

Escrever é tudo o que a verdade não é, mas também o seu corpo.

 

Ouve o tchk, tchk, tchk da toutinegra. Atenta

 

na sua cadência.

 

 

Uma frase e depois outra é a monotonia de tudo com viagens dentro.

 

Sente o andar vagaroso do gato. Tacteia

 

as suas unhas.

publicado por João Villalobos às 22:23 | link do post